segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Entre você e eu




A falta da luz
é o vácuo

A falta
é tudo ou nada

Entre você e eu
amor
sou a busca
da morte

O tudo
que se espera
ou o nada
que se tem

É busca
um andar a quem

É sempre um dia
antes de você

É ser do mar
ou do sol
onde não podem
são paisagem

Um não saber
ser sem completude
amiúde
viver

Falta que encerra
o peito

Falta que um dia
bastará.

(FlaVcast – 27.08.2012)

sábado, 25 de agosto de 2012

Passeio à beira mar


foto: ru-omnia

Percebo entre todas
As lógicas perdidas
Dos desabrochados
Sorrisos do seu olhar

As falas de amor

Como naquela tarde
Norma em que nua
Lasciva aconchegou
Desejo em meu peito

Não preciso falar

Quando solene entrou
Entre as telas, abstrata
Senhora de si espelhara
Do artista divina criação

O que fala te retrata

Indolente é o mar banhar
Seu corpo em ondas ilógicas
Eu atrevido sou da concha
O som pretencioso do mar.

(FlaVcast – 26.08.2012)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Quando amor




Quando amor
Não importa

As cadeiras

Estas sempre postas
Dirão em seus vazios
Dum amor estado ali

Duas cadeiras
Em que olhares
Cobertos de silencio
Entenderam-se unos

Resignados do amor
Não esperaram chuvas
Partiram de antemão
Ao céu ilimitado

Viver
Foi promessa
Dos dois.

(FlaVcast – 24.08.2012)

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Boulevard




Tão pouco eram os dias agitados
Eram horas e horas de intermináveis
Labuta de intermináveis vai e vem
Por aquela ruela estreita escorregadia

Havia luar sempre encoberto
Insetos a rodear lampiões
As mariposas a circular peões
Eram noites úmidas e frias

Nada que houvesse ou ouvia-se
Dizia respeito a facilitar o dia
Era tal de tirar leite coisa premente
Deprimente eram os pratos enojados

A quantos estranhos se é ser estranho
Porque de estranheza jocosa se vive
Empoleirados em mesmices estranha-se
A que tempo me esqueci no boulevard.

(FlaVcast – 23.08.2012)

Do licor uma noite escorrido




Quando venho
Calado na alma
Descansar os olhos
Desfocados que são

Perco-me embargado
De tristezas dispersas
Aquelas em que alheio
Aparecem nítidos olhares

Seus mais doces gestos
De um amar desejado
É quando escuro estou
Iluminam lembranças

Sou alvo desfalecido em sonho
Um ébrio adocicado olhar
Do licor uma noite escorrido
Em seu seio desnudo.

(FlaVcast – 23.08.2012)

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Dorme




Dorme meu bem

Porque sonhas

Entre sorrisos
e o vermelho
perfume de rosas

Dorme

Pois os cupidos
estes viajantes
de longe virão

E só em sonhos
discretos que são
deixarão os beijos

Dorme meu sonho

Que te quero
na ponta de flecha
entregar meus beijos

Dorme.

(FlaVcast – 22.08.2012)

Vida




É quando acordo
Que sei da vida
Ela está
E eu retomo

De um ponto
Inesperado
Que não tem
Atalho

Vida que é de fé
De ter fé na vida
Que me faz descer
Avenida a vida é ida

Mesmo se for outra
Vida é só ida
Perdida é a volta
A única saída é morta.

(FlaVcast – 21.08.2012)

sábado, 18 de agosto de 2012

Lençóis




Feitos de vaidades
São os lençóis
Amassados
Das noites de amor

Em fios de seda
Respiram acelerados
Os ecos dos ritmos
Das posições

Porções de sons
Misturam-se ao atrito
Da pele em fluidos
Resquícios

Guardiões soturnos
Segredos resguardam
Repostos macios
Carícias e lembranças.

(FlaVcast – 19.08.2012)

Alvorada




Como passe
Que passa
Abster se
Alvorada
Canta
E voe
Em círculos
Soltos
De um lado
Para outro
Que seja
De qualquer forma
Raiar em alegria
De pássaro
Que acorda
Pro dia.

(FlaVcast – 19.08.2012)

Bicho solto




Essa carne crua
Mascada e nada
Esturricada e sol
Essa é alma nua

Como instinto
De bicho solto
A prever os cercos
Os cios que gritam

Pele vestida de noites
A escorrer gotas anis
De pedidos cadentes
Correm libertos seres

Corpo em prata
Em cabeça rosa
Vieses vermelhos
Ficastes em azuis.

(FlaVcast – 19.08.2012)

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Perfume


Colagem digital - foto base "lana-del-rey" por FlaVcast

Perfumado
De algo que escorre
Do olhar derramado
Armado do odor
Da busca da pele
Nua distancia
Entre minha ânsia
De suas ancas
E a volúpia
Com que percorrem
Meus dedos
Em seus bicos
Dos seios
Cândidos lábios
Tocados como poros
Únicos
Úmidos desfalecem
Soltos como gotas
Levadas pelo ar
A perfumar
De amar.

(FlaVcast – 15.08.2012)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Passos


Colagem digital sobre foto “sorry” de Fludish, por FlaVcast


Entre outros
Passo
Entre passos
Outros

Como meio
Passo
Como passos
Meios

Quando sombra
Passos
Quando passo
Sombras

Onde ando
Passos
Onde passo
Paro.

(FlaVcast – 14.08.2012)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Os poemas do beco




Existe um poema perdido
no beco
Acuado
Como angustia presa
ao peito
Vencido feito amor
Bandido

Sempre há poemas escritos
no beco
Esquecidos
Deixados pairados no ar
Enamorados
Soltos sussurros
E beijos

Há poemas que moram
no beco
Enraizados
Sabedores dos seus limites
Segredos
Poemas de amor
Não entregues.

(FlaVcast – 10.08.2012)

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Sorrir




sorrir
quem sabe
ainda vá ser
felicidade.

(FlaVcast - 09.12.2012)

Acerca-me




...acerca-me
leva-me
segura nas tatuagens
dos seus braços
ao quarto...

(FlaVcast - 09.12.2012)

A rua do porto




Rua
Em que ecos
Ontem passos
Os meus corridos

Piano
Solitário tecla
Sons de devaneios
Amareladas ruas

Amor
Que aproximo
A procura de guia
A mar e desespera

Noite
Que presente lua
Acender caminho
Encontrar o porto.

(FlaVcast – 09.08.2012)

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Véus


Foto: Art Erotic Fashion

Dos véus
Camadas tão finas
da imaginação

Dispo
Um a um
Desnudo seu corpo.

(FlaVcast - 08.08.2012)


Abraço


foto: World Art Magazine


Abraço
como da pele
que poro a poro
nos reconhecemos

Envolvidos
já somos algo
algo muito próximo
ao que pode ser amor.

(FlaVcast - 08.08.2012)

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Sacana



Que os sonhos...
...Ah os sonhos

Que eu incomode muito...
os seu sonhos...


(FlaVcast - 06.08.2012)

Invasão




O silêncio
Tem olhos fechados
Lábios entreabertos
Pensamentos ao vento

Os beijos
Entregues nas notas
Música toca a pele
Por ela o amor invade. 

(FlaVcast – 06.08.2012)

Por trás do violino




Por entre janelas
Invade a voz
Por trás do violino
Que dança melódica

Medusa cigana
Envolta de prazeres
Despreocupada
Ama descalça

Dançar basta
A que o mundo rode
Movido ao vento
Rodopio de saia

Perplexas retinas
De tantas janelas
Imaginados amores
Não desvendam a voz

Sua verdade é sê-la
Em sensações intimas
Busca despretensiosa
Seus próximos passos.

(FlaVcast – 06.08.2012)

Enseada do mar de dentro




É aqui que refugio meu barco
Frente ao horizonte desço âncora
Lenta porque não  há tempo
Porque invento o por do sol

Pensamentos passam feito raios
Iluminados de emoções
Clarões impregnados de sol
Mote de sentimentos suportes

É nela embarcado em mar calmo
E releio cenas do navegar
Em mar bravo não se pensa
Sente-se

Enseada refúgio de refazer a rede
Afiar anzóis cercado de perfumes
Sereias em seus cantos invadem-me
A solidão que apraz momentos

Não há o que explicar
É foro intimo o som que corria
Entre a rua e a lua no instante
Amo e nem sei por que sorrio

É no mar de dentro à noite
Que escondo tesouros
Acendo velas
E parto em sonhos.

(FlaVcast – 06.08.2012)

domingo, 5 de agosto de 2012

Acordar sorriso




Te acordar sorriso
Independente do dia

Vendaval
ou calmaria

Se carnaval
ou romaria

Dengosa
e preguiçosa

Sorria pra começar o dia

Pra eu correr à padaria
Tomar um banho
de água fria

Sorria se quiser
pequenininha

Surgida no espelho
da pia

Sorria-me em beijos

De olhos fechados
ou a gargalhar ao meu lado

Mas sorria pra todo dia
Pra recomeçar minha vida.


(FlaVcast – 06.08.2012)

Dualidade





Vermelha
Império chinês
Despi-la de vez

Branca
Marfim da África
Aos poucos desvendá-la.

(FlaVcast – 05.08.2012)

Jardim




É aqui nesse mundo
que percebo existir
ao seu lado e só

é que planto
os poemas
de amor.

(FlaVcast – 05.08.2012)

Caminhos




Caminhos
Em azul
de um mar de Grécia
E um rosa
bem pálido
de tarde que se encerra.

(FlaVcast – 05.08.2012)

Café com suspiros




Toma um café comigo?
Flores te levo...
...Suspiros...

Entrego em sua boca...

...em beijos...

(FlaVcast – 05.08.2012)

Voar




....voar
como parte do vento
voa um amor presumido...

(FlaVcast – 05.08.2012)

Em seu sonho passei


...E adormecida
rondei seus sonhos
como aquele não visto
mas reconhecido
no peito...


(FlaVcast – 05.08.2012)

sábado, 4 de agosto de 2012

As flores da manhã




É que deixaria assim
Descansada
Num ponto seu
Em que sei passar
Observar

Seriam as do jardim
Lindas
De terem vida
Quentes
Por serem da gente

E eu já longe
Tomado de dia
Sei que saberia
Sorridente e olhar miúdo
Me diria bom dia.

(FlaVcast – 05.08.2012)

Procura-se




Amor
Tua parte
Em mim
Te procura desesperadamente

P.S.: Desejo muito também minha parte que está com você
e ainda nem conheço...

Beijo
Ao longe.


(FlaVcast – 04.08.2012)

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

A ouvir letras




Como não entender-me louco
Se por verdade ouço letras
Palavras que não param de cochichar
Aos meus ouvidos desafinados e surdos
Conspiram com frases torturantes
De amor
Os olhos olham músicas e dançam
Às vezes embaçados noutras apaixonados
O cérebro espia em tensão
Os desarrimados pulsares do coração
Este desajuizado órgão da emoção
Que só apanha, é cego o coitado
Como não ser outro senão louco
Atirar-me ao mar, talvez condenasse
Mas digno é entregar-me às ondas
Mares e ventos que levam-me
Sem planos vou ouvindo palavras
E rabiscando sons no meio do mar.


(FlaVcast – 04.08.2012)