domingo, 13 de fevereiro de 2011

Espaço provável



Sou teu vazio
O espaço provável
Do teu universo
Mais sincero

Derrama no eco
Todas as palavras
Do amor que és
E suas traduções

Ilumina o fundo
No qual acolho
Seus perfumes
Seu eu no meu

Onde cabe o amor
Se dentro do homem
Transcende o infinito
E chora o indefinível.

(FlavCast – 13.02.2011)

3 comentários:

Josette Garcia disse...

Belos versos! Já estou seguindo. Obrigada por compartilhar! Abraço

FlavCast disse...

Obrigado por se tornar seguidora e ter apreciado os versos. Abraço.

Marisa Vieira disse...

Adorei o espaço, vou frequentar!
PARABÉNS!!!