sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Dispersa



Dis
        Per
                Sa

Como
        N  u  v  e  m

Que                  passa

Dispersa
De tanto quereres
Dispersa ouvinte

Dis    per    sa
Como luz
Ao raiar
Do dia

Ou luar
Que ao passar
A nuvem
Inunda a noite

Como música
A sumir ao vento
Em eco
                        Ao longe

Dis
        Per
                Sa

Da beleza que é
A mulher
Que passa

Dis
        Per
                Sa.

(FlavCast – 25.02.2011)

Um comentário:

Daniella Caruso Gandra disse...

Os detalhes estão dispersos, mas fáceis de serem por nós leitores compreendidos. Muito bonito o seu poema e blog. Se quiser dar o prazer de sua visita no meu: www.qbonecadoll.blogspot.com. Te vejo lá!