sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Caminho da praia

 
Tão pouco fossem as pétalas
As únicas a exalar perfumes
Seriam as contidas libélulas
A plainar leves e admiradas

Dos volumes
Seus costumes
Vestidos em flores
Seus passos em cores

Talvez a tarde menos rubra
E estrelas não se apressassem
A compor cenário inimaginado
Desejo inspirado de estar ao lado

Andar de pés descalços na areia
Girar ou estender as mãos
Respirar em comunhão
Fazer toda noite ter lua cheia

Andar fora da linha
Não ter janelas
Fazer parte
Ser cena

Compor poemas
Ao ver estrelas
Só por amor
Fazer amor

Passos aos pares
Marcados
Deixam os rastros
Desenhados

Andamos assim
Despreocupados
Que importa
Que sigam os passos.

(FlaVcast – 07.10.2011) 

Um comentário:

Marisete Zanon disse...

rss...Intrigante e lindo! Beijos.