terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sexo vadio

 

Percebi que é do ritmo
Das ondas que a linha
Que faz das curvas
Do seu corpo a longitude
Em perspectiva
A força de atração
Do céu sobre a terra

Cheiroso de suas carnes
Libidinosas largadas
Solitariamente escorridas
Sobre a mesa montada

Foi vista perdida no reflexo
Do caco de porcelana
Quebrada na hora exata
Em que gozavas lasciva
Na madeira negra do móvel

...No canto a taça de vinho
harmoniza a delicada cena
do nosso sexo vadio...

(FlaVcast – 06.09.2011)

6 comentários:

Eliza Gregio disse...

Belo poema apropriado para este dia...

Um abraço Eliza Gregio

Eduardo Blog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fatima Regina Sousa disse...

Muito bom Flávio. Adorei o seu poema. Cada vez melhor. Parabéns!!!

Um abraço Fatima Regina.

Dani disse...

Que festa!

FlaVcasT disse...

Obrigado Eliza, Fátima e Dani pelos comentários!

É muito bom quando recebo palavras de incentivo!

Beijs a todas!

SIGRID SPOLZINO disse...

Na oportunamente percorre com perícia e destreza tua hábil arte nessas linhas, meu caro! Excelente noite pra ti!